Favoritos

Você não favoritou nenhum post ainda. Para fazer isso, basta clicar no ícone presente nas páginas.

  • Por que uma pandemia como a do Covid-19 desperta tanto medo na gente?

  • Por que uma pandemia como a do Covid-9 desperta tanto medo na gente? Algumas destas respostas você vai encontrar hoje na LIVE com a mentora em Mudança de Hábitos Carla Lubisco e a médica psiquiatra Betina Mariante Cardoso. É às 17 horas no Instagram @carlalubisco. Mas, vamos aprofundar já agora um pouco desse tema?

    “A pandemia, como as catástrofes e outras circunstâncias de grandes vultos, ativam de modo intenso o medo da morte, a percepção de que somos todos iguais no risco de perda da sobrevivência. O medo do contágio é o medo de ficarmos doentes e, em instância mais derradeira, o medo de não sobrevivermos, o que é sempre uma possibilidade avassaladora dentro de nós”, comenta Betina.

    Segundo ela, esse medo é instintivo. Nosso cérebro reptiliano, o mais arcaico, cuida dessa sobrevivência. E então vem o cérebro límbico, das emoções, e traz o medo como um elemento que nos avisa que devemos nos proteger. Já o neocórtex, o cérebro cortical, nos permite pensar sobre o medo e usá-lo de forma racional, o que nem sempre é possível porque o que é instintivo é muito poderoso em nós.

    Para Betina, no caso do novo coronavírus, existem outros medos que não apenas o da morte, como o de ter que enfrentar tudo isso de forma solitária, como adoecer e não podermos estar com os nossos familiares no acompanhamento da doença. “São muitos medos juntos, uma trama de medos que tem no seu fio principal, o medo da não sobrevivência. Não é pouca coisa o que estamos vivenciando como Humanidade”, relata.

    Comentários

    Comente ...