Favoritos

Você não favoritou nenhum post ainda. Para fazer isso, basta clicar no ícone presente nas páginas.

  • Respiração profunda ajuda a potencializar resultados dos exercícios e alivia tensão

  • Nunca paramos para pensar tanto, como nos dias atuais, na RESPIRAÇÃO, este movimento tão natural e, ao mesmo tempo, tão fundamental para a nossa vida, não é mesmo? Quando falta o ar, falta vida.

    Diversas funções fisiológicas só acontecem graças ao ato do corpo humano de absorver o oxigênio e eliminar o gás carbônico. Quando inspiramos, o diafragma se contrai e, na expiração, soltamos o ar para fora dos pulmões.

    Ao inspirar e expirar de forma completa, usando a maior parte dos pulmões, oxigenamos melhor todo o corpo por meio do sangue, com isso, aumentamos a nutrição de cada parte do organismo.

    A respiração também traz uma série de benefícios psicológicos e de bem-estar. Ela tem a função de nos acalmar, pois o cérebro recebe uma maior quantidade de oxigênio.

    “Respirar mais profundamente permite que tanto a mente quanto o corpo trabalhem com mais energia e calma. Tornar consciente a respiração diminui a ansiedade e traz serenidade, o que é bastante saudável”, relata especialista em Movimento e mentora em bem viver, Carla Lubisco.

    Segundo ela, esse ar que entra nos pulmões também alimenta os nossos músculos. “A respiração é uma aliada para ajudar as pessoas a executarem os exercícios de forma mais eficaz, potencializando os resultados e aumentando a sensação de bem-estar”, explica.

    A especialista sugere treinar a respiração em repouso para, depois, aplicar também durante o exercício físico. Outra dica importante é prestar atenção com a questão da segurança. Isso porque, uma ventilação ampliada pode causar uma leve e rápida tontura. Caso ela seja persistente e intensa, suspenda o exercício e procure orientação médica.

    Como deve ser a respiração correta e controlada?

    Quando pensamos no mapa do ar no nosso corpo, vemos que ele entra pelo nariz ou ela boca e é ajustado na temperatura corporal, filtrado e umedecido quase completamente ao passar através da traqueia.

    Esse processo de condicionamento continua na medida em que o ar inspirado penetra nos dois brônquios, chegando aos ramos terminais do trato respiratório, que são os alvéolos. Essa é a superfície vital  para  a troca gasosa entre o tecido pulmonar e o sangue.

    O principal músculo usado na respiração é o diafragma, que separa o tórax do abdômen e se conecta com a coluna, músculos – como os abdominais –, órgãos internos, além de nervos, veias e artérias. Um diafragma inibido, que não funciona bem, pode afetar todos estes sistemas e causar danos diversos, como, por exemplo, dores nas costas.

    Já uma respiração otimizada mobiliza a coluna vertebral na região do tórax e provoca a mobilização do sistema nervoso autônomo que, dentre tantas outras atividades, é responsável pela digestão, reprodução, sono e relaxamento.

    DICA: Durante 1 minuto, faça uma respiração tranquila em repouso. Conte quantas vezes você inspira. A referência para repouso é de aproximadamente 12 incursões. Durante o treino, isso pode aumentar para 35 a 45, ou até mesmo ultrapassar esse número.

    Cada exercício requer uma forma correta de respirar?

    O exercício físico ajuda a melhorar a capacidade respiratória, especialmente aquelas modalidades que trabalham o sistema aeróbico, como corrida, bicicleta, natação e caminhada. E, claro, a Meditação, que é ouro na nossa vida.

    Existem várias técnicas específicas e orientações de respiração, como as praticadas pelos yogues e pelos adeptos do  treinamento de força.

    >>> Você também pode gostar: Meditação: tudo para você começar a praticar hoje!

    Confira algumas sugestões de como você pode fazer para potencializar o resultado de alguns exercícios

    Abdominal básico: durante a contração (elevação dos ombros do solo) expire. Inspire no retorno.

    Apoio/flexões de braço: inspire ao flexionar os braços, durante a aproximação do solo, e expire no final do movimento.

    Alongamento: é importante que você alongue, inspire e retorne um pouco o estiramento. Depois, expire, ultrapassando o nível de esticamento que você havia atingido anteriormente.

    >>> LEIA TAMBÉM: 6 tipos de exercícios para sair do sedentarismo

    Por que às vezes sentimos dor na região abdominal ao fazer exercício?

    Essa dor, que geralmente é sentida na região do baço, é causada pela falta de condicionamento físico e está associada a uma adaptação do aparelho circulatório para a atividade.

    O ideal nesses casos é desacelerar, inspirar e expirar profundamente e, aos poucos, ir retomando a atividade. “Qualquer exercício físico exige uma adaptação do nosso corpo”, comenta especialista em Movimento e mentora em bem viver, Carla Lubisco.

    Estima-se, por exemplo, que em 20 semanas de treinamento com corridas regulares aprimoramos, em média, 16% os músculos ventilatórios. Com isso, reduzimos a sensação de desconforto pulmonar e a falta de ar, sintomas facilmente observados em pessoas destreinadas.

    Receba dicas e conteúdos exclusivos para uma vida mais saudável

    Comentários

    Comente ...